CONTACTOS
  • bg

IBERACERO PORTUGAL | Fornecedor de válvulas eclusas, válvulas de borboleta, valvulas de guilhotina, valvulas rotativas e revendedor de filtros magnéticos Porto

Fornecedor de valvulas eclusas


Desde 1991 que o Grupo Vorkauf alargou o seu âmbito de actividade a Portugal através da constituição da empresa Iberacero Portugal, localizada em Perafita no magnifico concelho da cidade de Matosinhos, a exemplo de vários outros países do continente europeu.

Seja bem-vindo ao grupo Vorkauf e ao mundo Iberacero Portugal

Área: Distribuição e fornecimento de válvulas de amostragem, válvulas rotativas, válvulas de desvio, vávulas de guilhotina, válvulas de borboleta, válvulas de diafragma, válvulas de macho esférico, válvulas pinch, válvulas eclusas, válvulas de flanges cegas, peneiros, crivos, filtros magnéticos, separadores magnéticos, agitadores, pneus maciços, pneus agrícolas e pneus industriais.

As eclusas utilizam-se principalmente para descarga de ciclones ou filtros
Em certos casos também se utilizam como doseadores .
Podem-se fabricar em aço carbono ou em aço inox.

O rendimento das eclusas depende do material a descarregar e da rotação
Com base no material a descarregar e experiência adquirida é seleccionada a rotação mais adequada e calculada a potência.

A pedido do cliente pode fabricar-se outros modelos e outras configurações.

 

Como funciona uma eclusa?

Atua como um verdadeiro elevador aquático, ajudando navios a transpor rios ou canais onde existe desnível no terreno. Esse desnível pode ser provocado pela construção de uma barragem ou uma hidrolétrica, por exemplo. A valvula eclusa nada mais é que uma grande câmara de concreto com dois enormes portões de aço. Depois que o navio entra, os portões são fechados. Quando a embarcação passa do ponto mais baixo para o mais alto, a água entra e eleva o navio. Quando o caminho é o inverso, a água escoa e a embarcação desce. O truque desse estranho elevador é a tubulação por onde a água entra e sai. "O segredo está nas válvulas eclusas. A valvula eclusa funciona sem necessidade de bombas e nenhuma energia é gasta para erguer o navio. Tudo é feito aproveitando o peso da própria água", afirma o engenheiro naval Carlos Daher Padovezi, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo.

As valvulas eclusas já eram usadas pelos chineses no século VII.

Sistema de portas e válvulas eclusas faz a água subir - e levar junto o navio
1 - Quando o navio entra para subir o desnível, o portão inferior e a válvula de dreno (por onde sai a água) estão abertos. Já o portão superior e a válvula de enchimento estão fechados
2 - Na hora da subida, o portão inferior e a válvula de dreno também são fechados. Então, basta abrir a válvula eclusa de enchimento para a água entrar. O nível da água sobe e o navio vai junto
3 - Quando o navio está no alto, o portão é aberto e a viagem segue. Na manobra de descida acontece o contrário. O navio entra na eclusa com a água já alta. Quando ela escoa, ele desce junto

fornecedor de válvulas eclusas

fornecedor de filtros magnéticos

válvulas de borboleta porto

válvulas de guilhotina porto

válvulas rotativas

Electroválvulas e válvulas proporcionais

Electroválvulas Válvulas motorizadas

Válvulas de comando separado

Electroválvulas 

Válvulas de comando separado

Distribuidores Fluidos específicos e aplicações

Água quente e vapor

Gases combustíveis e óleos

CriogeniaVácuo

Indústria de Process

Electroválvulas para atmosferas explosivas

Bobinas e acessórios

Fornecedor de filtros magnéticos


- Soluções Industriais

- Movimentação de Cargas

- Pneus Profissionais

- Produtos Siderúrgicos

- Divisão Química

Filtro Magnético

Os filtros magnéticos são desenvolvidos para tubulações com alto volume de líquidos e outros fluidos viscosos em sistemas de fluxo linear.
Eles fornecem proteção magnética para líquidos e outros fluidos, como também, equipamentos de processamento de alimentos viscosos e pastosos, preservando a pureza do seu material pela retirada de pequenos contaminantes ferromagnéticos que geralmente se misturam com os produtos em alguma parte do processo, seja por desgaste de componentes ou pequenos acidentes.
Estes componentes magnéticos ficam dentro de tubos de aço inoxidável

Como mensurar um filtro que atenda as minhas necessidades?

Pressão como as tubulações geralmente se encontram pressurizadas, a estrutura do equipamento magnético deve responder bem a altas pressões, para isso se utiliza de material estrutural de alta qualidade,  com acabamento polido (ideal para não haver contaminações por agentes biológicos), o sistema de fechamento por escotilha é o mais eficiente, encapsulado os componentes magnéticos no interior sem que haja qualquer problema e um dos principais fatores é o sistema de solda, pois quanto melhor ele for maior a segurança, para garantir que haja maior resistência a altas pressões.

Conexões: as conexões mais utilizadas para tubulações são flanges padronizadas, que unem o equipamento magnético Bramis ao sistema pré-existente, tornando a instalação muito mais fácil.

Vazão: o volume de fluido que passa por esta tubulação por determinado tempo é muito importante para mensurar a dimensão do equipamento e a distribuição do conjunto magnético.

Temperatura: é importante saber qual a temperatura do líquido, para poder definir qual tipo será utilizado, pois os mais comuns da classe N tem alta força magnética, dificilmente são desmagnetizados, mas começam a perder suas propriedades magnéticas quando expostos a temperaturas superiores a 80°C. 

Tipo de contaminação ferrosa: é muito importante sabermos qual a incidência de contaminantes ferrosos, pois os filtros magnéticos de linha para líquido são mais indicados para reter micro-particulas ferromagnéticas, sendo que peneiras podem tirar outros tipos de contaminantes maiores tanto ferrosos quanto de outros tipos não magnéticos.


Filtro Magnético 

Os Filtros Magnéticos são utilizados em fluxo de alimentação por gravidade, pressurizados ou não. A intenção deste tipo de filtro é interceptar o curso do material com elementos magnéticos de alta energia. O mais utilizado elemento magnético para filtros, que é basicamente um cilindro magnético com ponta cônica que faz a deflexão do produto a ser purificado, expondo-o assim em maior contato com os campos magnéticos. Geralmente indicado para fluídos, líquidos de alta e baixa viscosidade, pastas, cremes, mostos, loções, pós, grãos e diversos produtos químicos e alimentícios que tenham como meta de qualidade manter seus produtos livres de contaminantes ferromagnéticos.

Para que haja maior eficiência magnética os Filtros magneticos tem de ser muito bem projetados para elevar o volume de material que entra em contato com os elementos magnéticos e manter a vazão da produção. Os materiais do corpo são calculado para dar maior resistência e robustez ao processo.

Os elementos magnéticos utilizam imãs, em configurações magnéticas que elevam e direcionam o fluxo magnético para que haja sempre a captação ideal. 

Valvulas de borboleta Porto


Válvulas de borboleta 

Válvulas de cunha
Válvulas de diafragma 
Válvulas de fole 
Válvulas de globo 
Válvulas de guilhotina 
Válvulas de macho esférico 
Válvulas de purga e descarga de lodos 
Válvulas de regulação 
Válvulas de retenção
Válvulas de segurança 
Válvulas misturadoras 
Válvulas redutoras de pressão 
Visores 
Válvula de borboleta TTV 
Válvula de borboleta TTV 

Válvula de borboleta TTV excêntrica

Válvula de borboleta TTV flangeada
Válvula de borboleta TTV flangeada

Válvula de borboleta TTV 

Válvula de borboleta TTV 

Válvula de borboleta TTV metal/metal
Válvula de borboleta TTV metal/metal


Válvula de borboleta TTV Teflonada

Válvula de borboleta TTV tipo lug

Válvula de borboleta TTV tipo wafer
Válvula de borboleta TTV tipo wafer

As válvulas de borboleta são utilizadas em inúmeros sistemas de tratamento e abastecimento de água em todo o mundo, incluindo Portugal.

O sucesso das válvulas de borboleta deve-se sobre tudo aos equipamentos hidráulicos muito exigentes nas indústrias química e petroquímica, bem como na produção energética. O elevadíssimo grau de exigência de algumas destas aplicações permitiu desenvolver um conceito de válvula altamente fiável e configurável, seja qual for a aplicação a que se destina.

Por exemplo, as possibilidades de combinação de materiais destas válvulas são enorme, devido às muitas variantes disponíveis para cada componente: 2 para o corpo, 3 para o veio, 10 para o disco e 8 para o anel vedante !

O tamanho das válvulas de borboleta vai do diâmetro 40 mm até uns impressionantes 4000 mm  e a classe de pressão de serviço máxima pode ir até aos 25 bar, dependendo do diâmetro.

Estas válvulas borboleta podem ainda ser equipadas de origem com actuadores manuais de alavanca, ou de volante com desmultiplicador, actuadores eléctricos, actuadores pneumáticos de simples e duplo efeito, ou actuadores hidráulicos, bem como com uma infinidade de opções de automação para comando e monitorização da válvula.

Para além da sua versatilidade construtiva, os principais factores de sucesso das válvulas de borboleta, são: curta distância entre flanges, baixo peso, resistência a uma larga variedade de fluidos, forma construtiva que evita o contacto do fluido com o corpo, a forma hidráulica favorável ao escoamento e a normalização do interface de automação.

O que são valvulas borloteta?
A válvula borboleta é uma válvula que pode ser usada para isolar ou regular a vazão de um fluido. O mecanismo de fechamento tem a forma de um volante, mas pode ser realizado por mecanismos hidráulicos ou pneumáticos.
A operação é semelhante à de uma válvula esfera, que permite um rápido fechamento. As válvulas borboleta são preferidas porque são mais baratas que outras concepções de válvulas, além de serem mais leves requerendo suportes mais simples. O disco está posicionado no centro do tubo e, atravessando-o de um lado ao outro, há uma haste conectada a um atuador do lado de fora da válvula. A rotação do atuador faz o disco girar para uma posição paralela ou perpendicular ao fluxo. Ao contrário de uma válvula esfera, o disco está sempre presente dentro do fluxo, portanto uma queda de pressão é sempre induzida no fluxo, independentemente da posição da válvula.

Características das valvulas borboletas?

As válvulas borboleta flangeadas comercializadas, caracterizam-se por sua robustez, qualidade, pela simplicidade de sua construção e pela facilidade de instalação, operação e manutenção.

Principais Características das valvulas borboletas?:

As válvulas borboleta flangeadas comercializadas, são constituídas de um corpo de ferro fundido dúctil, dotado de um disco no mesmo material, posicionado de forma excêntrica, com a possibilidade de girar em um eixo de 90º. No corpo existe um anel metálico fabricado em aço inoxidável, que, juntamente com o anel de elastômero do disco, promovem a vedação da válvula.

Suas principais características são:

Possibilidade de utilização em função de bloqueio e controle;
Pontos para fixação de olhal de içamento e sistema de apoio para válvulas com DNs
superiores a 400 mm;
Construção excêntrica: os eixos não tem interferência com plano de vedação
exigindo baixo torque no momento de abertura e fechamento, gerando maior
confiabilidade e prolongando a vida útil de vedação;
Junta de vedação automática de 360º em borracha sintética (Buna-N),
inteiriça sem furos ou emendas;
Vedação 100% estanque em ambos os sentidos de fluxo ;
Possibilidade de substituição e ajustagem da junta de vedação sem que sejam removidos os eixos do disco, podendo, inclusive, ser feita com a válvula montada na linha para DNs iguais ou superiores a 600 mm.
Normalização:

Uma válvula borboleta com flanges é formada por:
um corpo (em forma cilíndrica, dotado de flanges em ambas as extremidades para a sua conexão à canalização;
um disco  em forma lenticular que bloqueia, libera ou regula a passagem do fluido;
dois semi-eixos em aço inox, atuando diretamente no disco, um para suporte e outro para acionamento, transmitindo o movimento de abertura e fechamento da válvula;
buchas autolubrificantes como guias do eixo;
uma sede de vedação em inox, sob a forma de um anel cravado no corpo, sobre o qual é usinado um perfil que garante uma perfeita vedação;
uma junta de vedaçãoque consiste em um anel, fixado ao disco por um anel de aperto, garantindo a vedação, independente do sentido de fluxo.

Valvulas de guilhotina Porto


As válvulas guilhotina são utilizadas para controle e bloqueio de fluidos e fluidos com sólidos em suspensão como em indústrias de papel e de mineração.
Seu funcionamento é parecido com uma guilhotina. Para controlar o fluxo do fluido existe uma lâmina de aço inoxidavel que se movimenta perpendicularmente a ele.

Disponibilizamos algumas das marcas deválvulas de guilhotina e para lamas mais fidedignas da indústria para aplicações na mineração, energia, água e processo. Tecnologia de produto inovadora e engenharia avançada, proporcionam um elevado desempenho e uma sensibilidade ecológica acrescida, para ajudar a reduzir os riscos para os clientes e maximizar a produção. 


VÁLVULAS GUILHOTINA
Wafer knife gate valve
EX - Unidirecional
Wafer knife gate valve
EK - Unidirecional-alto desempenho
Knife gate valve acc. to MSS SP81
ET - Unidirecional-MSS SP-81
Bidirectional knife gate valve
EB - Bidirecional

A válvula de guilhotina é do tipo unidireccional para instalação wafer, de aplicação industrial em usos gerais.

A válvula de guilhotina é do tipo bi-direccional para instalação wafer, está desenhada para aplicações com altas concentrações de sólidos.

A válvula de guilhotina, está especialmente desenhada para aplicação em pasta de papel, em concentrações elevadas, A dupla guilhotina permite operar a válvula na metade do tempo que uma válvula convencional

A válvula de guilhotina está especialmente desenhada para aplicações em produtos granulados. O desenho especial do corpo proporciona uma grande facilidade de passagem do fluido, sendo a válvula idónea para instalar na saída de silos.

A válvula de guilhotina com passagem quadrada ou rectangular está desenhada para aplicação em sólidos.

A válvula de guilhotina está especialmente desenhada para aplicações industriais. A dupla estanquicidade proporciona uma vedação bi-direccional. O desenho do corpo com duas mangas de borracha conferem uma excelente performance para aplicações em meios abrasivos.

A válvula de guilhotina está desenhada para aplicações especiais, principalmente em Industria do papel para utilização em recicladores, pulper e cliners de alta consistência.

A válvula de guilhotina e do tipo bi-direccional para instalação wafer, de aplicação industrial em usos gerais.

Válvula de guilhotina para aplicações em altas pressões

HB - Bidirecional - Alta pressão
Through conduit knife gate valve
TL - Faca passante
TK
TK - Faca passante-alto desempenho

TH - Faca passante - Alta pressão
Round & square port knife gate valve
CR - Boca redonda-quadrada
Double gate knife gate valve
DT - Faca dupla
Rubber sleeve knife gate valve
VG - Bidirecional- Mangas elastoméricas para lodos
Hopper shape knife gate valve
XC - Boca forma cônica para saídas de silos
Square port knife gate valve
BC - Válvula de guillotina de boca cuadrada

BX - V.G. de isolação para queimadores de carvão (ATEX cat.1)
AT - Split body knife gate valve
AT - Unidirecional-Corpo bipartido
VP - Bidirectional split body knife gate valve
VP - Bidirecional-Corpo bipartido
KP - Transmitter isolation valve
KP - Válvula de isolamento

Valvulas rotativas Porto


Equipamento desenvolvido para transferência de materiais particulados ou biomassa, em processos com exigência de restrição à passagem de ar ou gases.

As válvulas rotativas são aplicadas em sistemas de transporte pneumático, em equipamentos para controle de pó e, como alimentadores volumétricos em sistemas de transporte ou de processamento.

A válvula rotativa é usada como isolador de pressão entre duas câmaras com pressões diferentes, impedindo a perda de gás, enquanto o produto é transferido de uma para outra câmara.

As válvulas rotativas também são largamente usadas como alimentadores volumétricos em sistema de processamento industrial,mantendo fluxos constantes e precisos de alimentação de silos ou equipamentos.

O uso pode ser em sistemas de manuseio de pós ou produtos granulados, tais como cimento, cereais, plásticos ou minerais.

Características Técnicas das valvulas rotativas:
A estrutura de construção pode ser em ferro fundido ou aço, mancais do tipo monobloco com autocompensadores.

O acionamento das válvulas é feito através de motor redutor ou motor-redutor.

Opcionalmente podem ser fornecidas com acionamento com transmissão por corrente.

Vantagens das valvulas rotativas:
Facilidade de operação;
Limpeza no processo;
Construção robusta e compacta;
Anteparo de proteção;
Rotor com aletas especiais;
Vedação de retorno;
Porta de inspeção para o rotor;
Forma construtiva com ajuste fino entre rotor e carcaça.
Acessórios
Sensores de monitoramento;
Prolongamento da entrada/saída;
Projetos especiais para diversas aplicações e vazões.

Morada

  • Endereço:
    Rua Joaquim Alves da Silva, 763
  • 4455-473 Perafita - Matosinhos
  • Norte
  • GPS:
    41.222762,-8.695897
  • Gerente:
    IBERACERO PORTUGAL

Contatos

  • Telefone:
    +351 229 479 020
  • Fax:
    +351 229 479 029
  • Telemóvel:
    +351 910 303 412

Horario

  • Horário:
    Das 9:00h ás 12:30h e das 14:00h ás 18:30h
  • Encerramento:
    Sábados, Domingos e Feriados

Email

Envie a sua mensagem para pedir informações ou orçamentos


IBERACERO PORTUGAL | Fornecedor de válvulas eclusas, válvulas de borboleta, valvulas de guilhotina, valvulas rotativas e revendedor de filtros magnéticos Porto

Área de Clientes: