CONTACTE-NOS
  • bg

FORNECEDOR RECUPERADORES DE CALOR ,FOGÕES, SALAMANDRAS E LAREIRAS DE AQUECIMENTO CENTRAL

FORNECEDOR DE RECUPERADORES DE CALOR

Destacam-se nomeadamente os fogões a lenha, salamandras, lareiras, churrasqueiras, entre outros pequenos utilitários.


                                    

 

FOGOES A LENHA

História da Lareira como Fogo Útil

A lareira surgiu do engenho humano para um conceito mais organizado de fazer fogo.

Teve início há milhões de anos, onde o alimento era colocado sobre pedras ligeiramente separadas, com fogo entre elas (este surgia por fricção) e ali os antepassados passaram a dar algum alento, á caça ou pesca.

Após o fogo, surgiram os fornos polivalentes, tanto serviam para moldagem de ferramentas, como também para uso de cozeduras de utensílios em barro e nos mesmos cozinhavam os alimentos.

Após muitos anos, já na época da extracção de metais e pedras já trabalhadas esteticamente, surgia nos Lares, as Lareiras, local onde as pessoas se aqueciam e cozinhavam.

Com o moldar do ferro surgiu o novo conceito “Lareira” – A origem do fogo organizado, que passou a ser mais seguro e confortável para a utilização, pois já não se teriam de vergar, sobre as baixas lareiras de alvenaria.

Ora então o conceito foi lançado por um antepassado da nossa árvore genealógica, que criou um “Lareira” todo em ferro modelado e cravado, os já conhecidos “Fogões Circulares” nos quais a fornalha de queima da lenha fica lateral ao forno (com um fluxo de fogo em volta do forno) com saída na parte inferior do mesmo, ou seja, ao mesmo tempo que assa, também aquece os recipientes tipo tachos, no tampo.


                

Em Portugal, nos anos 80, talvez por serem de grande crescimento generalizado, também os fogões a lenha (Lareiras – Metálicas para cozinhar e aquecer), tiveram uma surpreendente evolução. Em 1991 a “Lareira” passou a ser uma marca registada e assim continuou a dar o respectivo conceito Lareira para cozinhar e aquecer, com outros apêndices mais avançados em torno de maior conforto doméstico, como aquecimento de águas sanitárias e aquecimento central (Aquecimento por agua quente dissipando calor por meio de radiadores espalhados por toda a casa).

Em 2000 o mercado depara-se com a herança de muita experiência e a grande evolução acontece, passou haver fogões a lenha modernos, para enquadramento em cozinhas contemporâneas. Havia potenciais clientes insatisfeitos porque gostavam do conceito “Lareira a Lenha”, mas os fogões existentes até ao momento com aspecto rústico ou clássico, não se enquadravam.


                                              

Por volta de 2005 surge para além dos já conhecidos rústicos, clássicos ou modernos, também com outras energias, agora com novos conceitos…

OS FOGÕES A LENHA,
COM VIDRO CERÂMICO,
OS MISTOS, MAS MODULARES
E O SISTEMA CIRCULAR TOTAL

Visite-nos e surpreenda-se com a nova lareira a lenha.

REVENDA SALAMANDRAS

Avaliação de Chaminés

Tendo em conta, utilização de aparelhos de queima a lenha, após um apanhado de chaminés, fizemos uma avaliação, efeito venturi, em que este é muito importante no acender destes tipos de equipamentos.

FOGOES AQUECIMENTO CENTRAL

Perguntas Frequentes 

APARELHOS A BIOMASSA
É UMA EXCELENTE SOLUÇÃO

A tradição ainda é o que era.
A lareira pode não ser a forma mais simples de aquecer a sua casa, mas parece que a biomassa (derivados ou lenha) veio para ficar.

 

 

Interrogado o Sr. José Pedro, criador de aparelhos de queima da empresa LAREIRA, se a lenha ainda aquece casas?

Este respondeu, que é possível utilizar a biomassa em fogões a lenha ou recuperadores a ar ou água como nas salamandras a lenha, ou “pellets” (combustível de forma cilíndrica “+ ou – 6mm” proveniente de troncos de madeira), esta última novidade, também para aquecimento central por água, ou só o ar do próprio cómodo. Funciona de forma idêntica às de lenha, mas para além do combustível (Pellets) ser mais caro, devido ao seu tratamento, são também mais dispendiosas na compra e para funcionar ainda gastam energia eléctrica, por isso (os aparelhos a “pellets” é só mais uma novidade), em relação às de lenha serão sempre mais caras, mesmo em futuras manutenções. J.P. conclui que a lenha é bastante mais económica então mais aconselhável (salvo casos impossíveis na colocação de conduta para equipamento a lenha, ou por simples comodidade).

Então há vários sistemas de aquecimento com biomassa?

Sim:

1º Sistema de aquecimento central.
2º Sistema de sofagem central.
3º Localizado.

- No primeiro, o Recuperador a Água ou Salamandra AQC, instalados na sala e/ou Fogão a Lenha também AQC na cozinha, este último ainda mais proveitoso, pois ainda dá para cozinhar com o mesmo combustível. Quando são ligados, aquecem a água da instalação que percorre os radiadores por toda casa. Esta opção pode ser integrada com outras soluções, como painéis solares térmicos, que durante o Inverno, quando estes por vezes não produzem calorias necessárias para aquecer a A.Q.S. (água quente sanitária), são ajudados (para quem pode, pela dispendiosa caldeira a pellets, gás ou gasóleo) pelos económicos recuperador e/ou fogão. Então com esta interligação é que passam a obter para além aquecimento de AQS, o aquecimento ambiente A.Q.C. (aquecimento central), e assim se faz suprir as necessidades de uma habitação, revela José Pedro.

 

 

- No segundo, os recuperadores de calor (ar) para encastrar, que aquecem o ar da divisão, do qual se pode ainda tirar proveito do ar aquecido instalando um sistema de sofagem central(canalizando-o para outros compartimentos), aproveitando ainda mais o calor.

 

 

- No terceiro, para aquecimento local existem os recuperadores de calor (ar) para encastrar, ou as isentas de encastramento, chamadas salamandras ou lareiras metálicas (quando com ventilação “estas tem excelente recuperação” e por fim as de dissipação natural/directa).

“Mais informa que em relação ao recuperador, quando instalado numa lareira, permite poupar bastante lenha: uma lareira tradicional terá cerca de 10% a 15% de rendimento, o que significa que só aproveita esta quantidade de calor retirada da lenha. No recuperador de calor, o rendimento é de cerca de 75%, o que significa que cada quilograma (quilos) é aproveitado para calor no interior da casa em 75%”. E dá exemplos: Para aquecer uma divisão com cerca de 35 metros quadrados numa hora, são necessários 12 kg de lenha numa lareira aberta, com recuperador e rendimento de 75%, bastam 1,6 kg de lenha.
Para uma habitação do tipo T1, a salamandra seria a solução ideal. O preço pode variar consoante a tipologia da mesma, se tem ventilação e também a qualidade de construção da habitação, no seu isolamento de fugas como térmico. Uma mais simples pode custar 400 euros, enquanto outra com design pode custar 1.700 euros. Em ambas as soluções, acresce o preço das condutas de saída de fumos, que poderão custar cerca de 250 a 750 euros dependendo dos casos, exemplo casas já com chaminé ou não.

- Numa do tipo T3, J.P. poderia aconselhar um recuperador a ar, que aquecesse cerca de 220 metros quadrados, sendo habitação com um pé direito de 2,6 metros quadrados. Mas para estes casos já recomenda os equipamentos de AQC, ou por distribuição de ar, esta última pode custar + ou – 2600€, porque já pede uma lareira estética para ocultar as saídas de ar quente da canalização de fazer a sofagem central. Em alternativa mas económicas, (claro não aquecendo todos os cómodos na perfeição) recomenda um equipamento moderno localizado, que não deve exceder os 1.600 euros e a instalação pode custar cerca de 400 a 800. Se o orçamento não der para tanto, é possível encontrar equipamentos que permitam fazer fogo para aquecer 108 metros quadrados, que custam cerca de 850 euros e a instalação 250ª 750 euros ou mais, nos casos mais complicados.

“A solução ideal” para a mesma habitação T3 ou até mais, é AQC (caso possa financeiramente). Que se estes estiverem interligado à caldeira de gás, gasóleo ou pellets, sempre que acenda o recuperador na sala e ou o fogão com caldeira AQC na cozinha, desligara a respectiva caldeira de apoio “opcional por comodismo”.

Se ainda não existir uma instalação de AQC (+ ou – 90 elementos, com um custo médio de 2300€, mais acumulador 1200€, caso queira também AQS), terá que adquirir podendo rondar então os 6.000 a 8000€ ou 9000€ caso mais qualidade ou obra mais complexa, Se já existir, só terá que adquirir, um recuperador AQC ou fogão AQC (serie eco) que montado tecnicamente pode custar 2.500€ ou 4000€ no caso de fogão com mais qualidade, e retira assim a partir do fogo da lenha, aquecimento para uma área de cerca de 300 a 500 metros quadrados.

O recuperador ou fogão também pode aquecer o piso radiante. Para isso, terá de o ligar a um acumulador que estabilize a temperatura da água. Segundo as contas da empresa Lareira, para aquecer uma casa isolada, com 150 e 200 metros quadrados, gasta-se cerca de 1,5 toneladas de lenha em cinco meses de Inverno, ou seja, cerca de 180 euros. De acordo com a empresa, este valor representa três vezes menos face ao gasóleo e 2,5 vezes menos face ao gás.

FOGÕES LAREIRAS DE AQUECIMENTO

Registo de Marcas e Modelos

 

“Para fogões, fogões de cozinha, fogões de sala”

 

Morada

  • Endereço:
    Praça Mouzinho de Albuquerque, 113
  • 4100-359 Porto
  • Gerente:
    Apoio ao Cliente

Contatos

  • Telefone:
    +351 707 91 26 94
  • Fax:
    +351 707 91 26 94
  • Telemóvel:
    +351 707 91 26 94

Horario

  • Horário:
    9:00 - 12:30 | 14:00 - 18:30
  • Encerramento:
    Sábados, Domingos e Feriados

Email

Envie a sua mensagem para pedir informações ou orçamentos


FORNECEDOR RECUPERADORES DE CALOR | FOGÕES AQUECIMENTO CENTRAL | REVENDEDOR SALAMANDRAS | VENDA DE LAREIRAS | FOGÕES DE AQUECIMENTO CENTRAL

Área de Clientes: